sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O Pequeno Nemo: Retorno a Slumberland #01 (2014)

As raízes dos quadrinhos estão na literatura infantil, de fato, é consenso que o formato de contar histórias com imagens surgiu para entreter jovens e crianças. Por muito tempo, para o senso comum, os quadrinhos estão atrelados a essa ideia de "coisa de criança". E o que era anos atrás um incômodo para muitos artistas e fãs de quadrinhos mais densos e alternativos, hoje a consolidação deste gênero para adultos fez este olhar para o quadrinho infanto-juvenil por vezes parecer banalizado.
O sábio leitor de quadrinhos reconhece a importância do gênero infantil e sabe que este gênero não deixa de lado a profundidade e a beleza da arte que por muitas vezes pode ser atrelada aos quadrinhos adultos. Já divulgamos aqui neste blog várias obras marcantes de trabalhos com direcionamento ao público jovem com conteúdo que encanta todas as idades. Trabalhos de qualidade marcados por simbolismo, filosofia e uso da fantasia. Hoje trazemos com grande prazer mais uma dessas obras marcantes que ajudaram a formalizar o que os quadrinhos que são hoje, uma arte.

Lançada em 1905 em forma de tirinha no jornal The New York Herald, O Pequeno Nemo, de Winsor McCay é uma história de sonhos, dos sonhos de um garoto que viaja para uma terra fantástica. Revolucionando a arte que ainda engatinhava no início do século XX, McCay contribuiu para que a forma de contar histórias por imagens se difundisse e ganhasse vida a partir das animações de Walt Disney, mais tarde. Hoje, 109 anos depois da estreia do Pequeno Nemo, novamente voltamos à Terra do Sono acompanhados de um novo Nemo, para viver novas aventuras, e nos permitir sonhar novamente.

Tradução: Midori e Lucas
Diagramação: McMiller

1 Pitacos
Pitacos

1 Pitacos:

Sr.Fodão disse...

McMiller voltou \o

Postar um comentário